NOTÍCIAS

ENTREVISTA AOS RESPONSÁVEIS DE GESTÃO E EQUIPAS COMERCIAIS

1. Como nasceu (e se desenvolveu) a XECOMPEX ?

José Silva

A Extraclick foi constituída em 2001, integrando a rede nacional de parceiros Xerox, possuindo o estatuto de “Concessionário Autorizado Xerox”, com actuação comercial e técnica para os concelhos de Sintra, Amadora, e em Lisboa nas freguesias de Benfica, Carnide e S. Domingos de Benfica.

Foi sempre um concessionário que se destacou por boas performances, e sempre reconhecido pela Xerox Portugal como um concessionário no TOP 10 a nível nacional.

Em 2012 a Extraclick adquire directamente à Xerox 51% do total das acções do concessionário Xecompex, S.A., – sendo esta a última concessão de propriedade da Xerox – o concessionário mais antigo em Portugal, constituído em Janeiro de 1990, fruto de uma joint venture com a Compta, e que tinha como influência as zonas Sul e Ocidental de Lisboa.

Em 2013 a Extraclick adquire ao grupo Compta as restantes acções (49%), ficando agora na posse da totalidade desta empresa.

Em 2015 entendeu-se que estavam criadas as condições para redimensionar as empresas, dando sequência ao processo de fusão da Extraclick com a Xecompex.
Dá-se assim início a uma nova vida, cuja mudança é absolutamente necessária, pois estamos perante um novo cenário macro-económico, exigindo adaptações que vão ao encontro da nova procura no mercado.

2. Quais os Desafios a superar em 2018?

José Silva

Os desafios são basicamente os mesmos, ano após ano, o que muda são as prioridades. Aumento de vendas, satisfação dos clientes, motivação e bem estar dos colaboradores, produtividade, fomentar a relação com os parceiros. No nosso caso, é de extrema importância a confiança e a cumplicidade com o nosso principal parceiro, a Xerox Portugal.

Além destes desafios, comuns e sempre presentes a qualquer empresa, tenho um que me desafia todos os dias: a construção de uma cultura organizacional forte, onde procuro estimular a participação criativa de todos os colaboradores da empresa.

José Lopes

Carlos Magalhães

Os desafios a superar em 2018 passam essencialmente pela procura do atingimento dos objetivos, fazendo crescer a empresa em contratos de NNB de especial importância, sempre que possível  com soluções de valor acrescentado associadas ao contrato de forma a fidelizar o cliente distinguindo-nos deste modo do típico fornecedor de cotações.

Este drive é tanto mais importante quando verificamos que a “transformação digital” vai seguramente trazer alterações ao mercado, quais e de que forma, são aspetos que merecem a nossa reflexão e consequente preparação para os desafios que se avizinham.

Haverá certamente riscos, mas também oportunidades, pois estas realidades andam sempre de mão dada.

3. Quais as 3 características que destaca na Equipa Xecompex?

José Silva

As 3 características principais que destaco na equipa Xecompex são: o profissionalismo; a competência; a identidade com a empresa.
A cultura da empresa tem um papel fundamental no comportamento dos colaboradores, vincando a sua identidade, influenciando a motivação, o compromisso/cometimento, e o alinhamento com a estratégia da empresa.

José Lopes

Todos dos dias acordo com vontade de vir trabalhar, sei que vou estar onde  quero, e com quem quero estar, sei que vamos ter novos desafios,  para estarmos mais  “confortáveis” na nossa atividade, com o contributo de todos,  mais um esforço daqui outro dali,  temos e teremos  sempre  a  Solução, para nós e muito mais importante,para o nosso cliente!  Esta é a forma como eu vejo a equipa Xecompex.

Carlos Magalhães

Trata-se de uma equipa que reúne as seguintes valências :

a. Grande competitividade
b. Juventude mesclada com experiência, capitalizando deste modo o melhor que cada faixa etária tem para oferecer
c. Espirito aberto para soluções fora da caixa.

4. Qual a principal aprendizagem enquanto CEO/Sales Director?

José Silva

A aprendizagem tem que ser diária. Todos aprendemos, todos os dias, e com todos. Um gestor deve ser um pedagogo, deve criar uma equipa e cuidar da sua formação constante.

Só assim teremos pessoas mais capazes, e a aprendizagem e competências valorizadas nas organizações. As pessoas sentir-se-ão parte de um todo e o trabalho ficará entusiasmante.

Poderei dizer que a principal aprendizagem que tiro todos os dias são relativas às relações humanas, que são tão complexas como gratificantes.

José Lopes

Aprender a estar presente e atento no dia-a-dia, para que todas as ocorrências, sejam de um forma “automática” direcionadas e solucionadas, a  quem é na realidade uma mais valia para cada tema,  podendo chamar lhe diversas coisas, eu gosto de chamar “autogestão responsável”!
Não me  esquecer que, embora seja uma expressão cansada de ser dita e ouvida, e independentemente de  toda a tecnologia que existe, “o mais importante são as pessoas”  e por isso há que dar tudo no sentido de  relacionar pessoal e profissionalmente , de uma forma correta e saudável!  

PS –  Vou morrer a tentar!

Carlos Magalhães

Ao longo do tempo  tenho procurado estar atualizado e nunca correr o erro de pensar que já sei tudo, não é fácil, mas é fundamental pois a dinâmica dos negócios a isso nos obriga na procura de soluções criativas transformando as dificuldades em oportunidades .

Neste particular há que ter sempre em conta as  diversas personalidades das pessoas com que trabalhamos, procurando tirar das mesmas o melhor que têm para oferecer e limar arestas que houver a limar, procurando manter uma equipa motivada que proporcione um ambiente de trabalho saudavelmente produtivo.